CINE FOTO CLUBE DE AMPARO

Fundado em: 31/agosto/1952

 
Presidente : Sérgio Vital T. Jorge
 
Diretoria:

DIRETORIA (2017 / 2021)

Presidente Honorário: José Baptista de Oliveira Jr.

Presidente: Sérgio Vital Tafner Jorge - O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Vice Presidente: Reginaldo Leme -  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.  

1º Secretário: Edson Negrão

2º Secretário: Jefferson Peruffo

1º Tesoureiro: Silvana Ismael Guarizzo

2º Tesoureiro: Rita de Cássia Carrara Castan

Conselho Fiscal: Márcio Oliveira, Nolsbielg  Pires, Celso Forato

Conselho Deliberativo: Raoni Frizzo, Adilson Jorge, Daniel Gueratto, Raquel Aleixo, Julia Maria Cônsoli


 

CINE FOTO CLUBE DE AMPARO

 

O Cine Foto Cube de Amparo foi fundado em 31 de agosto de 1952. Idealizado pelo médico Antônio de Oliveira Nóbrega, de acordo com seu estatuto, o papel do clube é desenvolver e aprimorar as artes fotográficas e cinematográficas na cidade, em todos os seus aspectos e modalidades. Com o apoio de seus fundadores e membros, o clube conseguiu construir sua sede própria, no centro da cidade, para realizar suas atividades e fortalecer os ideais de seus fundadores. Dentre seus entusiastas, surge o fotógrafo Sérgio Jorge, vencedor do Prêmio Esso de Fotojornalismo, que teve seu primeiro emprego na Casa Fotográfica de Elisário de Castro Negrão, um dos fundadores do clube.

 

Durante os anos de atividade intensa, décadas de 50 e 60, os membros do clube amparense conquistaram vários prêmios com suas fotografias em diversas mostras nacionais e internacionais. As imagens desses artistas representaram o Cine Foto Clube de Amparo em vários salões fotográficos do país, além de participar em exposições em países como Estados Unidos, México, Argentina, Chile e várias cidades da Europa. Nos anos dourados do fotoclubismo no país, o Cine Foto Clube de Amparo foi uma grande ferramenta para o desenvolvimento da cultura e turismo no município. A partir dos anos de 1990 o clube encerra suas atividades e permanece na inércia durante anos.  

 

Por esforço e organização de apaixonados pela arte fotográfica, o dia 15 de julho de 2017 pode ser considerado um novo marco na história do clube, como o dia em que o Cine Foto Clube de Amparo voltou à vida e com a missão de reunir novos aficionados, e manter acessa a chama e o amor pela fotografia, assim como seus fundadores. “Graças a um grupo de pessoas, muitas delas jovens, conseguimos reabrir o Cine Foto, que foi esquecido pela cidade. São pessoas apaixonadas por Amparo, que se engajaram na luta. Temos muita coisa por fazer, como a reforma no prédio, por exemplo, mas o mais importante é que hoje o Cine Foto Clube de Amparo já voltou a ser referência dentro da proposta pela qual foi criado”, disse Sérgio Jorge durante a reabertura do foto clube.


A CIDADE DE AMPARO

A Capital Histórica do Circuito das Águas Paulista

 

Localizada a 130km da capital, a cidade de Amparo se consolida numa posição diferenciada, enquanto município paulista reconhecido por sua natureza exuberante, de clima ameno e, sobretudo por sua consciência em torno da preservação de seu patrimônio arquitetônico e histórico. A cidade soube deixar o progresso chegar sem abrir mão do valor de suas memórias e prima por manter um conjunto de edifícios construídos durante o período compreendido entre 1830 e 1950, o que a caracteriza como um destino diferenciado no interior do Estado de São Paulo.

Desde os seus primórdios, no final do século XVIII, enquanto ainda um humilde povoado às margens do rio Camanducaia, Amparo soube brilhar. Nasceu, cresceu e assumiu o papel de protagonista. Tornou-se município e testemunhou fatos dignos de um roteiro de filme. Abrigou o ciclo áureo do cultivo do café, acompanhou os passos do surgimento da república brasileira, testemunhou os principais capítulos da Revolução Constitucionalista de 1932 e recebeu de braços abertos gente de todos os tipos e localidades, como italianos, portugueses, japoneses, libaneses e tantos outros povos de todo o Brasil. Mais do que tudo, soube encaixar sua história nos trilhos, sendo um dos pilares da saudosa Companhia Mogiana de Estradas de Ferro.

 

No meio de tanta riqueza histórica, veio a fotografia. Pelas mãos de nomes como Hércules Florence, Maximino Riberi e tantos outros entusiastas da gravura das imagens, Amparo tem como seu álibi a fotografia, talvez a maior responsável por perpetuar e documentar tamanho acervo, além da criação de um legado, eternizado até os dias de hoje. Com o codinome de “Capital Histórica do Circuito das Águas”, a cidade faz jus ao apelido que recebe, pois visitar Amparo é voltar no tempo, é sentir o ar nostálgico de cidade interiorana. Amparo “ampara” todos que passam por aqui!

 

Amparo é terra natal de personalidades de grande importância para o desenvolvimento político e social de nosso país. Entre os destaques temos o renomado fotojornalista Sérgio Jorge; o escritor e roteirista Marçal Aquino; a judoca medalhista mundial Maria Suelen; o ídolo do clube Benfica, em Portugal, o jogador Luisão. Dos falecidos, o urbanista e prefeito de São Paulo, Prestes Maia; o médico psiquiatra Franco da Rocha; o cientista e astrofísico Rômulo Argentière; o ministro do Supremo Tribunal Federal, Laudo Ferreira de Camargo; a cineasta Cleo de Verberena, entre outras pessoas que elevam o nome da cidade.


PONTOS TURÍSTICOS DE AMPARO

 

Catedral Nossa Senhora do Amparo

Por volta de 1850 começava a construção de uma igreja matriz, onde seria colocada a imagem de Nossa Senhora do Amparo, que deu nome ao município. Entregue aos fiéis em 1878, foi na década de 1920 que aconteceu uma grande reforma, alterando sua fachada e torres. Seu interior guarda os quadros da Santa Ceia e o Lava Pés, pintados pelo famoso pintor Benedito Calixto, além de ricas pinturas, vitrais e esculturas em madeira. Em 1997, foi elevada ao título de Catedral Diocesana, abrangendo onze municípios da região.

 

Conjunto de residências na Praça da Catedral

Após interdição da primeira capela às margens do rio Camanducaia, ao final dos anos de 1820, uma nova igreja era edificada numa colina próxima, mais alta e longe das cheias do rio. Nascia assim, ao seu redor, o pátio da Capela e depois Largo da Matriz. Em seu entorno um conjunto formado por cinco casas, extremamente bem conservadas, traz toda a riqueza e detalhes de um período clássico na arquitetura da cidade.

 

Sociedade Italiana Mútua de Assistência

Inaugurado em 1929, ano do centenário de Amparo, o prédio da Sociedade Italiana é um edifício único na cidade, graças ao seu tamanho e sua arquitetura imponente. Localizado no Largo da Catedral, já foi sede do Paço Municipal e é o maior ícone de uma colonização italiana tão presente no município.

 

Residência do Barão De Campinas

O mais antigo sobrado remanescente em Amparo foi construído em 1836 e se tornou residência do comendador Joaquim Pinto de Araújo Cintra, o Barão de Campinas. Nesta casa, em 1878, hospedou-se D. Pedro II, então imperador do Brasil, na sua visita à cidade. Hoje nele abriga a secretaria geral da Diocese de Amparo.

 

Igreja de Nossa Senhora do Rosário

Construído no início dos anos 1830, a Igreja do Rosário é o mais antigo edifício religioso da cidade. Um dos cartões postais da cidade serviu como palco para as eleições da primeira Câmara de vereadores e como Matriz entre 1850 e 1878, enquanto se construía o prédio que abriga hoje a Catedral. No final do século XIX passou por uma grande reforma quando perdeu suas torres e ganhou a fachada atual. Atualmente o Largo do Rosário é palco de atividades culturais.

 

Museu Bernardino de Campos

Antigo palacete do coronel Luiz Leite, o prédio foi construído em 1885, é um dos principais edifícios da cidade com suas diversas janelas, colunas e imponente fachada. É um dos exemplos da tradição clássica na arquitetura de Amparo e guarda uma belíssima coleção de peças de diferentes épocas.

 

Igreja São Benedito

A construção da igreja teve início em 1885 graças a uma promessa feita pelo devoto José Ortiz de Camargo, um carroceiro que percorreu as ruas do bairro buscando doações. Em 1912, é designada a construção do convento franciscana e, 1922 era inaugurado o Colégio São Benedito.

 

Jardim Público

Antigo cemitério da cidade, o atual Parque Alonso Ferreira de Camargo, conhecido popularmente como Jardim Público, foi entregue à população na sua parte inferior em 1889. Sua parte superior, mais recente, foi inaugurada cinco anos mais tarde. Seu coreto histórico e belíssimas árvores fazem do local um importante centro de eventos de Amparo.

 

Grêmio Português de Beneficência

Concebido em 1899 e inaugurado em 1907, o edifício do Grêmio é uma das construções mais imponentes de Amparo. De arquitetura e influência portuguesa, foi uma sociedade de caridade e socorro mútuos, com fins beneficentes. Hoje, abriga um dos hospitais da cidade.

 

Estação da Mogiana

A data 1875 impressa na fachada principal da estação representa o ano da inauguração do Ramal do Amparo, que fazia parte do primeiro trecho da linha da Companhia Mogiana de Estradas de Ferro, que ligava Campinas a Mogi Mirim.

 

Hospital Santa Casa Anna Cintra

Fundada pelo ilustre Barão de Campinas e sua esposa, Anna Cintra, foi inaugurada em 1890. Apesar de sofrer inúmeras reformas, a fachada e algumas dependências do hospital preservam o projeto original, incluindo uma linda escadaria de mármore.

 

Rua XV de Novembro

A Rua XV de Novembro é uma das mais antigas e preservadas da cidade. Além de ser a ligação entre a Catedral e a Igreja do Rosário, seu trajeto é composto por uma série de construções históricas de diferentes épocas e estilos arquitetônicos. Nela nasceu o médico psiquiatra Franco da Rocha e premiado fotojornalista Sérgio Jorge. Nela também viveram a viscondessa de Nova Granada, personalidade do Império; o advogado e republicano Bernardino de Campos; o boticário e fazendeiro Francisco de Assis Santos Prado; o urbanista e prefeito de São Paulo Prestes Maia, dentre outras personalidades.

 

 

Galeria de fotos de Amparo/SP

https://www.amparoemfoco.com.br/cidade

 

 

 

 

 


Copyright