Foto Clube Rio Claro Photo & Prosa

Atenção, abrir em uma nova janela. PDFImprimirE-mail


 

 

Data fundação: 30/outubro/2012

Sede: Rio Claro – SP

 

 

Diretoria:

Presidente 
Giorgi Bastos Coelho - Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

Vice-Presidente  
Vitor Correia Bernardes - Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

Diretor de Fotografia  
Edson Mignella Facuri - Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

Diretor Tesoureiro 
Celia Aparecida Riani Costa, - Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

Diretor de Comunicação e Relações Públicas  
Bruno Berger - Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

 

Objetivos e finalidades do photo & prosa.

Desenvolver, fomentar, executar, dar apoio e divulgar a arte fotográfica disseminando conhecimentos fotográficos, aos seus membros e à comunidade em geral, através de atividades culturais e educativas tais como cursos, seminários, palestras, exposições, publicações e tarefas afins;

Participar e dar apoio às associações, entidades, instituições, federações ou confederações de objetivos semelhantes aos seus, a critério da Diretoria Executiva.

Para a consecução dos objetivos, o Foto Clube Rio Claro Photo & Prosa, realizará as atividades correspondentes ao cumprimento do caput, diretamente, ou em regime de convênio, que estabelecerá cooperação com outras entidades e/ou órgãos federais, estaduais ou municipais, podendo providenciar serviços de pessoas ou organizações técnicas.

 

História de Rio Claro

O início do povoamento Séculos XVIII e XIX

Este artigo é o primeiro de uma série de quatro, resgatando a história da cidade de Rio Claro, no mês do seu aniversário. Ele toma como ponto de partida o início do processo de ocupação das terras do "Sertão do Morro Azul".

Essas terras ocupavam uma extensa área inexplorada e desabitada, situada no interior da Capitania de São Paulo, servindo apenas de passagem para aventureiros que penetravam o sertão. O seu processo de ocupação tem início no século XVIII, no ano de 1718, com a descoberta de ouro na região de Mato Grosso.

A posição geográfica favorável estimulou a formação de uma pequena povoação próxima às margens de um córrego. Sua população composta por alguns índios, pequenos agricultores e alguns escravos praticava uma agricultura de subsistência. O local passou a servir de pouso e de suporte para os tropeiros, antes da subida da serra, estimulando o desenvolvimento de um pequeno comércio de gêneros de primeira necessidade. Foto: Antiga fachada da Caixa Econômica Federal

O declínio da exploração de ouro refletiu na povoação que permaneceu por quase um século, apenas um pouso às margens do Córrego da Servidão.

Somente no início do século XIX, as primeiras sesmarias passaram a ser doadas na região. Estas eram porções de terra concedidas gratuitamente pelo vice-rei ou pelo governador a pessoas ricas e politicamente influentes. As doações que se sucederam deram início ao processo efetivo de colonização, sendo a primeira sesmaria concedida em 17 de Abril de 1821, aos irmãos Pereira. Estes obtiveram do governador uma légua e meia de terras, no lugar denominado "Ribeirão Claro", entre a vila de Moji Mirim e o Rio Piracicaba. Esta sesmaria ficou conhecida como o Curral dos Pereira, sendo a mais antiga fazenda estabelecida no Município de Rio Claro.
Horto Florestal.
No final do século XIX, havia uma escassez de matéria-prima para manutenção e construção de ferrovias. Com o intuito de suprir a demanda de madeira para dormentes e carvão, a Companhia Paulista de Estradas de Ferro, criou Hortos Florestais, entre eles, o Horto Florestal Edmundo Navarro de Andrade, na cidade de Rio Claro, em homenagem a Edmundo Navarro de Andrade que, em 1914, trouxe da Austrália 144 espécies de eucalipto.

O Horto Florestal de Rio Claro, foi criado em 1909. Andrade teve sua residência no Horto, fazendo do local centro de diversas pesquisas sobre o eucalipto, onde foram arquivados os resultados de seus trabalhos, dando origem ao Museu do Eucalipto em 1916.

A partir de 2002, pelo Decreto Estadual n. 46.819, o antigo Horto Florestal de Rio Claro foi classificado na categoria de Florestal, que visa o manejo sustentável dos recursos, a pesquisa e a visitação pública, tornando-se a FEENA (Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade).

MUSEU DE ENERGIA USINA-PARQUE DO CORUMBATAÍ
Rio Claro foi a segunda cidade do Brasil a receber iluminação pública, a primeira foi Campos no Rio de Janeiro!

A Usina do Corumbataí utiliza o potencial hidrelétrico do Rio Corumbataí e do Ribeirão Claro.

Foi inaugurada em 1895 e dispõe de roteiros de estudo importantes!

Banner